20.1.11

 

 

De uma comunicação social que parece gozar cada vez menos da liberdade que lhe é (à partida) inerente, de uma comunicação social que se acomoda aos tempos de crise e vende “as desgraças” e essas histórias floreadas que a procura parece demandar, como se de oxigénio se tratasse. Mas não será o papel desta comunicação social, destes mass media, que conseguem mudar a opinião de um país inteiro num abrir e fechar de olhos, tentar dar ao ser individual melhores ferramentas para que cumpra verdadeiramente a sua existência enquanto ser social, enquanto parte integrante de uma sociedade organizada?

 

Não critico sempre as temáticas em causa, denote-se que os media têm um papel informativo, critico a desprestígio e a abordagem, que em muito deixa a desejar no conteúdo e, consequentemente, na qualidade.

Mas parece-me, bem assim, que uma desgraça nunca vem só… Há depois a inércia, presente na maioria de nós… A inércia que leva ao “derrotismo patriótico”, à crise de valores, da moral e comportamentos éticos.

Espanto-me que assim seja, que haja esta mediocridade, esta falta de formação moral, esta falta de “entre-ajuda” (que lá fora é sobejamente conhecida como característica dos portugueses, sempre prontos a ajudar o próximo) e esta capacidade que temos de nos encontrarmos sempre na iminente vontade de desistir…

 

Haverá algo mais sincero do que esta minha simples abordagem?

 

Para mim, infelizmente, Portugal tem sido um reflexo da mentalidade do seu povo, especialmente no que se refere às últimas décadas, e será este um caminho longo a percorrer, para que isso mude. Contudo, espero que a minha (a nossa!) seja a geração da mudança, pautada pela vontade de fazer mais, melhor e diferente!

 

E é por isso que exijo nunca menos que estar rodeada de indivíduos pro-activos, daqueles que querem adquirir estas ferramentas por forma a que se liguem os motores, por forma a que se bata a porta à “saudade” e se abrace de novo uma atitude positiva e de “esperança” – também ela tão portuguesa!

 

É tempo de nos encontrarmos de uma vez por todas a nós próprios, para que nos possamos orgulhar do nosso Portugal, do nosso “cantinho” onde conseguimos ser tão cúmplices e tão próximos, deste nosso “cantinho” cheio de potencial!

 

 

 

Uma reflexão de Raquel Vilão

LinkUma ideia de JSD Secção B, às 14:01  Opinar

Mensagem do Presidente

Bem-vindo ao blog da B. A Secção B sempre se distinguiu por uma forma de estar na Política, fazer Política, mas principalmente pensar Politica. Este espaço é disso representativo: um local de debate, troca de ideias e ideais. Participa, temos as portas abertas a todos os contributos! Abraço e até já! Guilherme Diaz-Bérrio
Queres saber mais? Procura-nos:
No Twitter através de http://twitter.com/JSDSeccaoB No Facebook em http://www.facebook.com/pages/JSD-Seccao-B/105330659538096?ref=mf Ou enviando-nos um e-mail a solicitar a inscrição na mailing list para seccaob.jsd@gmail.com
Notícias

Presidenciais

Acreditas em Portugal? Se acreditas no teu país e num bom Presidente, vota em algúem que tem competência, experiência de vida e que respeita os interesses do teu país. Dia 23 de Janeiro, VOTA Cavaco Silva
Órgãos da Secção
. MESA DO PLENÁRIO Presidente:
João Gomes da Silva
Vice-Presidente:
Inês Palma Ramalho
Secretário:
Ana Sofia Lamares
Suplentes:
Sara Castanho
Nuno Martins
José Carlos Pereira

. COMISSÃO POLÍTICA Presidente:
Guilherme Diaz-Bérrio
Vice-Presidentes:
João Prazeres de Matos
Joana Tenazinha
Michael Dean Fialho
Secretário-Geral:
Diogo Santos
Vogal:
Nuno Miller Bastos
Essi Leppänen da Silva
Ivan Roque Duarte
Leonor Vieira
Luís Miguel Frias Figueiredo e Oliveira
Maria Inês Bandeiras
João Lemos Esteves
Ricardo Soares
Suplentes:
Rita Fidalgo Fonseca
Miguel Botelho
Ana João Pissarra
Jorge Pinheiro
Isabel Domingues
Luís Santos
Raquel Vilão
Vasco Borges Moreira
Tiago Venâncio de Matos
Filipe Carvalho
Abel Silva
Inês Rocheta Cassiano
Ricardo Monteiro
Política de Verdade
Pesquisa no Blog
 
Think Tank
Onde estamos
Morada:
Campo Pequeno, 16-3º, Lx

E-mail: seccaob.jsd@gmail.com

Analytics