1.4.10

Na última semana, desde o resultado das eleições directas no PSD, tenho estado a tentar decidir o que pensar sobre o nosso novo líder, Pedro Passos Coelho.

 

Convém, antes de mais, clarificar que a minha preferência estava em José Pedro Aguiar Branco, por considerar ser o mais bem preparado para ser Presidente do PSD e Primeiro-Ministro e, tão ou mais importante, por me parecer ser o único com condições pessoais e profissionais para desempenhar estes cargos com o desprendimento e independência desejável neste tipo de funções.

 

Quem me tenha ouvido falar de Passos Coelho sabe que frequentemente o apelidava de "um Sócrates de segunda". E as semelhanças não são muito difíceis de encontrar, desde o facto de a quase totalidade do seu currículo serem cargos políticos, à imagem pública cuidadosamente construída, até ao pormenor das gravatas azuis claras, tão na moda desde que Obama as começou a usar.

 

Para além disso, sempre apontei a Passos Coelho o facto de ele mudar de opinião com alguma frequência e de, nos últimos anos, já o ter visto demasiadas vezes a defender uma coisa e o seu contrário.

 

Finalmente, parece-me que Passos Coelho não é social-democrata, é liberal, apesar de não ter a certeza se ele próprio está muito convencido disso, já que também não é muito coerente neste aspecto nas ideias que defende.

 

Em todo o caso, Pedro Passos Coelho foi eleito líder do partido com uma votação bastante expressiva e, devo dizer, gostei do seu discurso de vitória. Ao colocar-se numa posição de responsabilidade e de promotor de estabilidade, acalmou imediatamente o receio que tinha de haver uma ambição de fazer cair o governo o mais rápido possível.

 

A minha expectativa e desejo é que Passos Coelho venha a conseguir resolver a crise de identidade em que o PSD se encontra, entre bases e elites, socais-democratas e liberais, conservadores e progressistas, e assim construir a tão desejada unidade e credibilidade do partido. O mais difícil será fazer tudo isto sem destruir o pluralismo que é necessário para conseguir chegar a um eleitorado que vai desde o centro-esquerda até aos cristãos-democratas. Só assim o PSD conseguirá estar em condições de ganhar eleições e de governar o país.

LinkUma ideia de Frederico Francisco, às 14:18  Opinar

Mensagem do Presidente

Bem-vindo ao blog da B. A Secção B sempre se distinguiu por uma forma de estar na Política, fazer Política, mas principalmente pensar Politica. Este espaço é disso representativo: um local de debate, troca de ideias e ideais. Participa, temos as portas abertas a todos os contributos! Abraço e até já! Guilherme Diaz-Bérrio
Queres saber mais? Procura-nos:
No Twitter através de http://twitter.com/JSDSeccaoB No Facebook em http://www.facebook.com/pages/JSD-Seccao-B/105330659538096?ref=mf Ou enviando-nos um e-mail a solicitar a inscrição na mailing list para seccaob.jsd@gmail.com
Notícias

Presidenciais

Acreditas em Portugal? Se acreditas no teu país e num bom Presidente, vota em algúem que tem competência, experiência de vida e que respeita os interesses do teu país. Dia 23 de Janeiro, VOTA Cavaco Silva
Órgãos da Secção
. MESA DO PLENÁRIO Presidente:
João Gomes da Silva
Vice-Presidente:
Inês Palma Ramalho
Secretário:
Ana Sofia Lamares
Suplentes:
Sara Castanho
Nuno Martins
José Carlos Pereira

. COMISSÃO POLÍTICA Presidente:
Guilherme Diaz-Bérrio
Vice-Presidentes:
João Prazeres de Matos
Joana Tenazinha
Michael Dean Fialho
Secretário-Geral:
Diogo Santos
Vogal:
Nuno Miller Bastos
Essi Leppänen da Silva
Ivan Roque Duarte
Leonor Vieira
Luís Miguel Frias Figueiredo e Oliveira
Maria Inês Bandeiras
João Lemos Esteves
Ricardo Soares
Suplentes:
Rita Fidalgo Fonseca
Miguel Botelho
Ana João Pissarra
Jorge Pinheiro
Isabel Domingues
Luís Santos
Raquel Vilão
Vasco Borges Moreira
Tiago Venâncio de Matos
Filipe Carvalho
Abel Silva
Inês Rocheta Cassiano
Ricardo Monteiro
Política de Verdade
Pesquisa no Blog
 
Think Tank
Onde estamos
Morada:
Campo Pequeno, 16-3º, Lx

E-mail: seccaob.jsd@gmail.com

Analytics